LEVE FEITO PIPA

Tirei a poeira de algumas letras antigas que eu tinha datilografado aos sussurros. Bem verdade é que eu sempre deixei mansa as declarações que fazia e, cega de rebeldia, também acabei por não ver. Precisei ter cuidado, sabe? Cuidado para não pisar numa frase mal dita e acabar com interpretações erradas ou falsas expectativas.


Tenho alimentado a saudade. Engulo toda falta como se fosse um gigantesco comprimido engolido sem água. Vezenquando a garganta trava e os olhos inundam, mas logo assopro longe e bordo outro sorriso amarelo que é para disfarçar o meu desespero de não saber seguir.

Achei a tatuagem que você deixou na minha pele, num abraço-de-urso dado num dia qualquer. Vi chover gelado em meu rosto, tal como aquele dia frio, e corri para me encarar no espelho e ainda vi, muito fraco, aquele brilho que tinha quando tudo era cheio de certeza e insegurança nula.


Você lembra como a gente sempre teve certeza?

De um jeito um pouco torto, às vezes cheios de mágoas e tempestades, mas a gente sempre teve certeza. Mãos enroladas, peito sereno. Olhávamos para a mesma linha do horizonte e desenhávamos planos sem tanto alarde. Viver era morno e manso – e era bom.


Depois que vi a poeira baixar e consegui me reconectar comigo mesma, vi vários planos não concluídos e isso me atingiu no peito causando fortíssima falta de ar... Lembra quando prometemos ver o sol nascer no topo do nosso mundo? Ou quando prometemos um entardecer com piquenique? Ou ainda as voltas que queríamos dar no mundo, provando cervejas e drinks caros demais para serem bebidos duas vezes?


É bizarro, sabe? Vezenquando até ecoa tua risada no meu tímpano e todo corpo arrepia. Será que teu rosto ainda cabe nas minhas mãos?


Lembrar você, lembrar da gente, tem me feito rever nossa história como se fosse um filme rodado em câmera lenta... Vejo sempre o carro riscando asfalto com AD/DC tocando alto n’alguma estradinha cheia de árvore e pôr do sol alaranjado. Você com riso menino de olho pequeno; eu com os pés sobre o banco, cantando propositalmente desafinada para te arrancar ainda mais riso.


Sinto falta de ser leve feito pipa (...)

~ mafê probst | @mafeprobst

70 visualizações

Posts Relacionados

Ver tudo